Nosso compromisso

é transformar a economia

para cuidar da vida

A Banca Etica Latinoamericana foi criada com o propósito de contribuir para o desenvolvimento de uma nova economia para a América Latina, baseada em valores como o respeito e a dignidade do ser humano, bem como o cuidado com o meio ambiente.

Trabalhamos para conectar investidores conscientes, interessados ​​em utilizar seus recursos financeiros para um desenvolvimento verdadeiramente sustentável, com organizações cujos produtos ou serviços tenham impacto positivo na sociedade e no planeta.
Somos éticos porque adotamos critérios de investimento explícitos, total transparência em nossas operações e uma política corporativa baseada em impacto.

Não especulamos com dinheiro. A gestão financeira das nossas carteiras ocorre na economia real: nas escolas, nos teatros, nas quintas, nas indústrias, que promovem o bem-estar humano e a regeneração ambiental. Trabalhamos com o mundo real para construir o mundo fraterno, inclusivo e justo que queremos.
Somos um grupo financeiro que cuida do nosso povo, da nossa cultura, da nossa natureza, da nossa educação, da nossa saúde e do desenvolvimento social do nosso território. Cuidamos da vida na América Latina.
Critérios de investimento explícitos

100% do financiamento vai para empresas e instituições que impactam positivamente a vida das pessoas e o meio ambiente. Não investimos em nada que aumente a desigualdade e as mudanças climáticas.

Incentivos orientados para o impacto

Nossa estrutura de remuneração executiva não inclui bônus financeiros vinculados a metas de negócios.

Transparência
total

Nossos investidores são periodicamente informados detalhadamente sobre o real impacto gerado por seus investimentos.

Investimento na economia real

Nossos projetos são da economia real (gerador de ideias, produtos, serviços e empregos). Não participamos da economia especulativa.

Governança que se preocupa com o propósito

Temos uma estrutura de governança com dois níveis de gestão. A Fundação Dinheiro e Consciência cuida do propósito central e o conselho bancário zelará pelos objetivos da instituição financeira.