Uma história para colocar a dignidade

no centro da economia

Há oito anos começamos a desenhar o esboço de um projeto de reconstrução para a economia latino-americana. Hoje, somos uma realidade em quatro países. E continuamos avançando.

Nossa história começa em 2013, quando o banqueiro espanhol Joan Melé, do Triodos Bank, visita Argentina e Chile para difundir o modelo de um banco ético na América Latina. Com apoio da Fundação Avina e de empresas do Sistema B, foram realizadas mais de 200 conferências em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Bogotá, Cidade do México, Buenos Aires, Montevidéu e Santiago, culminando com a criação da Fundação Dinero y Conciencia. Presidida por Melé, a fundação foi a semente de um desafio continental de criar o primeiro banco ético latinoamericano, inspirado no Triodos Bank.

Surgidos na Europa dos anos 1970, os chamados bancos éticos ganharam essa denominação de seus próprios clientes devido aos critérios de investimento na economia real e de impacto positivo e à transparência total das operações. Em plena guerra do Vietnã, parte da sociedade se questionava: estaria o meu dinheiro ajudando a financiar conflitos? Representado atualmente por mais de 50 instituições financeiras no mundo, os bancos éticos estão alinhados ao Global Alliance for Banking on Values (GABV), uma rede global de bancos independentes que tem como premissa o desenvolvimento sustentável da economia, do meio ambiente e da sociedade.

Desde então, um grupo de representantes locais do mercado financeiro tem trabalhado para tornar realidade a Banca Ética Latinoamericana, uma ideia tão inspiradora quanto valiosa para as necessidades da nossa sociedade.

Em 2016, o primeiro protótipo da Banca Ética Latinoamericana foi lançado em Santiago do Chile. No ano seguinte, um estudo de viabilidade comprovou o potencial da iniciativa regional.

Em 2016, o primeiro protótipo da Banca Ética Latinoamericana foi lançado em Santiago do Chile. No ano seguinte, um estudo de viabilidade comprovou o potencial da iniciativa regional.

O ano de 2018 marcou a constituição da primeira equipe profissional para o desenvolvimento da Doble Impacto, plataforma de crowdlending que conectaria investidores interessados em escolher onde e porquê investir em organizações de impacto. Grupos incipientes também foram criados na Argentina, no Brasil e Uruguai, impulsionados por novas visitas de Melé à região.

Em 2019, foi realizado o primeiro encontro latinoamericano da Banca Ética em Santiago do Chile, com equipes da Argentina, Uruguai, Brasil e Chile. Neste mesmo ano, um novo estudo de viabilidade foi realizado para o desenvolvimento do projeto em escala regional.

Em 2021, em meio à maior crise sanitária da modernidade, a Banca Ética Latinoamericana fincou seus pés nestes novos territórios, com a abertura dos escritórios Atlântico (atendendo ao território brasileiro) e Río de la Plata (para atender Argentina e Uruguai), somando-se ao agora Pacífico Sur (para o Chile). Uma vez consolidado esse processo, projetamos os novos escritórios Mesoamerica (para atender México) e Eje Andino (Colômbia).

Además, trabajamos con un equipo de expertos bancarios en Chile para solicitar la licencia a la autoridad regulatoria (CMF, Comisión para el Mercado Financiero) y lograr avanzar en tener un banco regulado en Chile entre 2022 y 2023.