Diario Financeiro do Chile

destaca em seu portal pedido de

licença bancária para regulador local

Com base na publicação do Diario Financeiro
22 diciembre 2021
Chile

A mídia especializada detalha na publicação aspectos mencionados no documento protocolado junto ao regulador, como o plano de negócios e o capital inicial, a conformação da governança corporativa e os prazos para o início da operação como banco regulado no Chile. 

O jornal chileno Diario Financiero destaca na capa de sua versão digital e em matéria publicada à página 13 de sua edição impressa, de 22 de dezembro, a solicitação da licença bancária da Banca Ética Latinoamericana à Comisión para el Mercado Financiero (CMF), que permitirá ao grupo financeiro operar como banco regulado no mercado chileno.

A publicação destaca aspectos importantes do projeto bancário, como o plano de negócios e os prazos estabelecidos pelo órgão regulador, informados no documento enviado à CMF.

Segundo o diretor-executivo da Banca Ética Latinoamericana, Sebastián Cantuarias, “o primeiro passo é a aprovação pela CMF e a autorização provisória que nos permitirá criar um novo contrato social para operar exclusivamente no mercado bancário e fazer o levantamento patrimonial do banco”.

O jornal destaca que, para cumprir os requisitos de capital estabelecidos pelo regulador, a Banca Ética terá um capital inicial superior a 30 bilhões de pesos chilenos, dividido em um milhão de ações.

“Nosso plano de negócios está muito bem estruturado, nos deixa seguros de que temos um banco que cumpre os requisitos de solvência, risco e de ser sustentável economicamente”, diz Cantuarias. 

GOVERNANÇA CORPORATIVA

 

Em relação à governança corporativa mencionada pela publicação, foi apresentada à CMF o conselho provisório do banco regulado, o mesmo do grupo financeiro que hoje também governa os três escritórios de impacto abertos até o momento: Pacífico Sur (Chile), Río de la Plata (Argentina e Uruguai) e Atlântico (Brasil).

 

O conselho tem como particularidade seu caráter global, com especialistas no setor financeiro e na área de impacto, aportando habilidades e conhecimento relevantes para o desenvolvimento do projeto bancário. 

São eles: Rafael Sotil Bidart, Nicola Borregaard, Nelson Rodríguez Harvey, Liliana Manns Gantz, José Tomás Edwards Alcalde, Patricia Gatti (Río de la Plata), Diego Vidal Sánchez, Marina Bresslau (Atlântico) e Marcos Eguiguren Huerta, ex-Triodos e ex-diretor executivo da Global Alliance for Banking on Values (GABV).

Como assessor está o banqueiro Gábor Pozsonyi, ex-CEO do Magnet Bank e consultor internacional; a gerência-geral está a cargo de Mauricio Rojas, ex-gerente de planejamento do Banco del Desarrollo.

Compartilhar nas redes: